I – 100 DIAS DA GESTÃO DO PREFEITO RICARDO RODOLFO: O ESSENCIAL É INVISÍVEL AOS OLHOS

Foto: Alex Sandro (Blog Mad In Notícias)

 

A coletiva concedida pelo Prefeito Ricardo Rodolfo em (24/04/2017) não pode ser analisada apenas ao sabor das perguntas feitas pelos blogueiros e das consequentes respostas, por sinal, lúcidas e oportunas. É necessário contextualizar. Petrolândia não é uma cidade isolada do mundo e tão pouco é a toca onde caiu Alice chamada País das Maravilhas. Há certo tempo tentaram vender essa ilusão criando no imaginário de nossos jovens que a nossa cidade seria uma segunda Petrolina. Doce Ilusão. A crise política, econômica e social que vive o nosso município não nasceu no dia primeiro de Janeiro de 2017. Essa crise, se por um lado traz transtorno à nossa população por outro tem um efeito pedagógico que pode colocar nos trilhos o trem que nos conduzirá a um novo tempo, a um novo modo de fazer política. A política como arte de fazer o bem a todos independentemente de bandeira partidária. Eu acredito que o Pastor Ricardo, hoje Prefeito Ricardo, chegou no momento certo, na hora certa. Que Deus ajude para que eu não esteja equivocado.

Por isso escreverei várias matérias relacionadas à coletiva. Esta é a primeira.

A coletiva foi aberta com o Prefeito Ricardo Rodolfo fazendo uma prestação de contas do que conseguiu realizar nos 100 primeiros dias. Apresentou ações concretizadas por todas as Secretarias: Saúde, Educação, Infraestrutura, Segurança, etc. Segundo ele, nada visível a quem não que ver, mas de suma importância para o município. Por isso o subtítulo desta matéria que é uma citação extraída do XXI capítulo do livro O pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry “O essencial é invisível aos olhos… só pode ser visto com o coração” Está contida no diálogo travado entre o Príncipe e a Raposa.

Como é necessário contextualizar, o essencial foi visto pelo grande estrategista político então Prefeito Lourival Simões quando prestes a encerrar o prazo para indicação dos candidatos a prefeito indicou o então Pastor da Igreja Batista Ricardo Rodolfo como candidato à sua sucessão. O essencial, assim percebo, está sendo construído nesse início de governo, mas só pode ser visto com o coração. Parte da oposição derrotada insiste em querer ver com os olhos da velha política viciada em práticas que o povo, na sua maioria, não mais admite.

Há também pessoas do próprio grupo da chapa vencedora que ainda não conseguiu enxergar com o lado esquerdo do peito, mas isso é admissível. Apesar de a chapa vencedora ser do grupo que está no poder há 16 anos, sua candidatura trouxe esperança de renovação, de mudança. isto causa medo, assusta e leva tempo para ser assimilada. Não é fácil promover mudanças principalmente quando implica em remover velhos hábitos e até pessoas.

Na entrevista o Prefeito Ricardo Rodolfo disse que não tem faltado determinação, e vontade política para promover as mudanças tão esperada pelo povo de Petrolândia. Isso todos sabemos, mas muitos não veem nem com o coração e tão pouco com a razão.

A final da coletiva o Prefeito Ricardo Rodolfo fez um apelo dramático para que todos os vereadores, ex-prefeitos, e o povo se unam para que possamos atravessar a crise sem tantas turbulências.

Desejo sorte e sabedoria ao nosso prefeito sem deixar de lembrar o que mais ele sabe: “Ninguém põe remendo de pano novo em roupa velha, porque o remendo repuxa o pano, e o rasgo fica maior ainda. (Mateus c. 9, v. 16). Nem se põe vinho novo em vasilha de couro velha; se o fizer, a vasilha rebentará, o vinho se derramará e a vasilha se estragará. Ao contrário, põe-se vinho novo em vasilha de couro nova; e ambos se conservam”. (Mateus c. 9, v. 17)

Blogs presentes na coletiva: Assis Ramalho, Gota D’Água, Icó-Mandantes, Petrolândia Notícias, Made In Notícias, e Sertão News.

CARNAVAL PETROLÂNDIA 2017: FANTÁSTICO

“É de fazer chorar, quando o dia amanhece obriga o frevo a parar, Ôh quarta-feira ingrata chega tão depressa só pra contrariar” (Luiz Bandeira)

Mais um evento realizado pela Prefeitura de Petrolândia que gera um poder simbólico no imaginário social e cultural dos Petrolandenses que vai muito além da nossa real compreensão: O Carnaval 2017. O Prefeito Ricardo Rodolfo, com humildade, pediu que empresários locais colaborassem e o que vimos foi o maior e melhor carnaval de toda nossa história. Parabéns aos organizadores.

E o carnaval de 2018 como será? Aqui vão algumas sugestões:

1-Criar um Conselho de Cultura para entre outros organizar o Carnaval;

2-Realizar um concurso de marchinhas com compositores locais;

3-Realizar um concurso para selecionar vocalistas locais;

4-Realizar concurso para selecionar as bandas locais que participarão do carnaval;

5-Os paredões devem tocar apenas músicas do carnaval pernambucano e ao mesmo tempo todas reproduzindo as mesmas músicas sincronizadas via transmissor FM. Vocalistas selecionados no item 2 desfilariam nos paredões fazendo playback.

Vale lembrar que o frevo divide-se em três estilos: frevo de rua (Tocado por orquestra instrumental, sem adição de nenhuma voz cantando), frevo de bloco (Executado por orquestra de pau e cordas (geralmente composta por violões, cavaquinhos, banjos, bandolins, violinos, além de instrumentos de sopro e de percussão) e frevo-canção (Tem melodia cantável e andamento mais lento que o dos frevos de rua).

Exemplos de estilos de frevo:

Frevo de rua: “Vassourinhas”

https://www.youtube.com/watch?v=5Ml7N8mm8LM

Frevo Canção: “Borboleta não é ave”

https://www.youtube.com/watch?v=zXi2vevee-w

Frevo de Bloco: “Madeira que Cupim não Rói”

https://www.youtube.com/watch?v=li4SgjHF3Ic

ORLA DE PETROLÂNDIA – COMO NUM PASSE DE MÁGICA: TUDO LIMPO

Parafraseando John F. Kennedy: “Não pergunte o que Petrolândia pode fazer por você, pergunte o que você pode fazer por Petrolândia!”.

O mutirão realizado hoje por moradores e funcionários da Prefeitura a Pedido do Prefeito Ricardo Rodolfo para limpeza da Orla Fluvial de Petrolândia, tem um poder simbólico no imaginário social e cultural dos Petrolandenses que vai muito além da nossa real compreensão.

Eu entendo as razões que levam muitos jovens da nossa cidade pós-barragem de Itaparica não perceberem a importância que tem este gesto. Afinal, a maior parte de nossas raízes culturais repousa adormecida sob as águas do Velho Chico. Petrolândia deu início, hoje, ao resgate desse passado pobre, difícil, mas construído com muito orgulho. A história de Petrúcio Amorim explicitada na sua música Tareco e Mariola é também a história do povo de Petrolândia.

“Cartas na mesa,

bom jogador conhece o jogo pela regra,

não sabes tu que já tirei leite de pedra,

só pra te ver sorrir pra mim não chorar.

Você foi longe,

me machucando provocou a minha ira,

só que eu nasci entre o velame e a macambira,

quem é você pra derramar meu munguzá”