A EDUCAÇÃO E O TEMPO

 Petrolândia 02 de junho de 2013

Mais um motivo para eu continuar tentando encontrar a velha CARTA DE ABC. Aquela que alfabetizava os pobres e que me introduziu, aos 11 anos, no mundo letrado. Não sei se letrado analfabeto ou analfabeto letrado.

A cartilha no formato de livreto de cordel que Graciliano Ramos classificou como livreto de papel ordinário: “Meu pai tentou avivar-me a curiosidade valorizando com energia as linhas mal impressas, falhadas, antipáticas. Afirmou que as pessoas familiarizadas com elas dispunham de armas terríveis. Isto me pareceu absurdo: os traços insignificantes não tinham feição perigosa de armas”. (Graciliano Ramos).

Mas se um filho de classe média nordestina, que foi Escritor Famoso, Prefeito, Professor, Diretor de Imprensa Oficial, Diretor de Instrução Pública não conseguiu enxergar, naquele momento, as “armas terríveis” daquela Carta de ABC o mesmo não aconteceu com o Rei do Cangaço. Foi com ela que Lampião aprendeu, em apenas 90 dias, a ler e escrever. Ao ser alfabetizado, em 1907, demonstrou que estava 100 anos a sua frente, pois me dá a impressão que foi ele o percussor da escrita utilizada, hoje, pela maioria dos usuários do Facebook. E tem mais: Aprendeu a entender o que lia. É possível que ele tenha seguido o conselho que a cartilha ensinava na última lição e última frase: “A fome dá ao pobre o direito sagrado de importunar o rico.”. Veja a carta que ele escreveu a um fazendeiro de Floresta-PE.

lampiao

(“Ilmo. Sr Cantidiano Valgueiro,

Eu (ou “le”) faço esta para “vc” mandar-me dois “conto dereis”, isto sem falta, não tem menos, para “vc” saber se assinar em telegrama contra mim como “vc” se assinou em um com “Gome” Jurubeba. Eu ví e ainda hoje tenho ele. Sem mais, resposte logo para “envitar” muito prejuízo. Sem mais assunto. Cap. Virgulino ferreira Lampião. [sic]” 5.

Os métodos pedagógicos que fizeram época foram de inegáveis resultados positivos: O sertanejo que se interessou, aprendeu a ler soletrando e cantando as 26 lições da famosa “Carta do ABC” de Landelino Rocha, que continha apenas 16 páginas. E da tabuada cantada ritmicamente em comum pela classe, com palmatória). Fonte: Lampião Analfabeto ? Opinião; por Kiko Monteiro 

Para finalizar leiam esta maravilha da literatura nordestina de Pedro Ernesto Filho:

AINDA TENHO GUARDADA MINHA CARTA DE ABC

Ela me faz recordar
a minha infância primeira,
Maria Gomes Pereira
professora do lugar,
que me mandava estudar
e eu não sabia o porquê,
pois criança não prevê
do futuro quase nada
– Ainda tenho guardada
minha Carta de ABC.

Suas laudas têm clareza,
não possui palavra omissa,
no final, diz que a preguiça
é a chave da pobreza,
conserva ainda a beleza
pois quem observa vê
que entre os sinais A e Z
não há letra amarrotada

– Ainda tenho guardada
minha Carta de ABC.

Até já mudou de cor
por ação que o tempo faz,
porém conserva os sinais
que expressam o seu valor,
na história de doutor
integra um só dossiê,
se alguém perguntar, cadê?
Também mostro a taboada
– Ainda tenho guardada
minha Carta de ABC.

Com dez folhas dá abrigo
a todas letras maiúsculas;
logo em seguida, as minúsculas
feitas num formato antigo,
porém conservo comigo
para mostrar a você;
a capa um pouco fumê,
por dentro, bem conservada
– Ainda tenho guardada
minha Carta de ABC.

Uma caneta luxenta
digna de ir ao museu,
que Crisantina me deu
em dezembro de setenta,
de preta ficou cinzenta
e o bico parece um tê,v mas quem botar tinta vê
riscar sem fazer zoadav – Ainda tenho guardada
minha Carta de ABC.

Olho tudo e me comovo
por força das emoções,
o livro Minhas Lições
ainda está quase novo;
aquela Cartilha o Povo,
alguém, querendo, inda lê,
tem formato de carnê
e a capa é toda ilustrada
– Ainda tenho guardada
minha Carta de ABC.

Aquela prova bonita
em folhas grandes de almaço,
abaixo da nota, um traço;
na borda, um laço de fita,
hoje parece esquisita,
mas faz bem a quem revê,
nem por troca de cachê
eu a deixo abandonada
– Ainda tenho guardada
minha Carta de ABC.

Meu livro de matemática
do autor Marcius Brandão,
Programa de Admissão
que tornou-me a vida prática,
também guardei a gramática
que hoje me faz mercê,
pois a aula da tevê
deixa uma dúvida danada
– Ainda tenho guardada
minha Carta de ABC.
Pode alguém mangar de mim
porque tenho conservado
o caderno do ditado
e as notas do boletim,
todo poeta é assim
de louco possui um quê,
muito mais doido é você
que não se lembra de nada
– Ainda tenho guardada
minha Carta de ABC.

Fonte: AINDA TENHO GUARDADA MINHA CARTA DE ABC 

 

3 comentários

  • Boa tarde.
    VOcê conseguiu encontrar?
    Meu avô fará 70 anos este mês e sonha em ter esta cartilha novamente.
    Também gostaria muito de encontrar;

    • Encontrei sim, na Biblioteca Nacional de Portugal. Está lá microfilmada. Gastei R$ 375,00 para eles me enviarem. Este valor tão alto deveu-se a pagamento de taxas para adquirir euro e transferir para a conta da Biblioteca. Me enviaram em CD. Posso fazer uma cópia e enviar pra você. Como estava microfilmada está toda em preto e branco. A qualidade não é boa, mas está legível.

    • Não cobrarei nada pelo envio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *