Órfãos da Barragem de Itaparica

Petrolândia 21 de fevereiro de 2013

O projeto para deslocamento e reassentamento, compulsório, das famílias atingidas pela usina hidrelétrica de Itaparica entre os Estados de Pernambuco e Bahia foi financiado pelo BIRD – Banco Internacional pela Reconstrução e Desenvolvimento. O mutuário foi a ELETROBRAS e a executora a CHESF – Companhia Hidrelétrica do São Francisco. A concepção do projeto foi muito além do acordado com o Pólo Sindical do Submédio São Francisco. Foi o primeiro desta natureza financiado pelo Banco Mundial. Uma de suas exigências foi que a CODEVASF fosse a executora do sistema de irrigação a ser implantado. Pretendia mostrar para o mundo que seria possível transformar uma área de extrema pobreza em verdadeiro paraíso: Acesso aos projetos irrigados todos pavimentados, escolas de altíssima qualidade, sistema de irrigação de última geração e muito mais. Para isso a Chesf não economizou esforços para realizar convênios generosos com as prefeituras e Codevasf.

O Governo Federal já investiu mais de 3 bilhões e a Chesf uma média de 103 milhões anuais. Onde foram gastos todos estes recursos? Para onde foram desviados? O reassentamento de Itaparica consumiu tanto dinheiro? (Veja aqui o relatório do TCU:)

Vinte e cinco anos depois a terra prometida transformou-se para alguns, (agricultores, comerciantes e políticos), numa verdadeira fábrica de prosperidade, para outros numa via crúcis infindável. (Veja aqui o Milagre Econômico de Petrolândia:) Ontem proprietários de suas terras, de suas casas e do seu próprio destino, hoje como escravos de interesses inconfessáveis não são donos de nada. A maioria já perdeu a esperança de um dia receber o título de suas propriedades. Mais da metade dos reassentados já passou para o outro lado da vida sem ver o seu sonho realizado.

OBS: a partir do próximo mês estarei publicando, neste Blog uma série de artigos referentes aos reassentados de Itaparica. Faz parte de um trabalho que venho pesquisando a certo tempo que tem como título “Viajando em busca de mim mesmo” Aguardem.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *