OPERÁRIA MORRE ENVENENADA NO ICÓ MANDANTES

Lamentável. Logo que tombou, seus companheiros e companheiras nativos começaram a saquear os alimentos que ela levava para casa, enquanto outros cantavam, alegremente, sem perceber o que estava acontecendo. Ela morava numa comunidade extremamente organizada, talvez a mais social e mais estável de todas as comunidades. Ela saía todos os dias para trabalhar às cinco horas da manhã e voltava, no máximo, às 10 horas quando o sol, implacável, informava que ela deveria voltar à sua casa. Às 15:00 horas saía novamente para trabalhar. Percorria diariamente até 1,5 quilômetros para realizar o seu trabalho e quando voltava trazia alimentos para os que ficavam em casa. Era responsável pela manutenção da biodiversidade e altas taxas de produtividade da agricultura irrigada no nosso Município. Nunca cobrou nada pelo seu trabalho. É provável que hoje ela tenha trabalhado em uma plantação contaminada por agrotóxico.

O Projeto Jovem Empreendedor da agroindústria familiar, promovido pelo INSTITUTO AFIM, vem lutando com paciência e persistência para tornar a nossa agricultura familiar autossustentável. Em futuro não distante nossos produtores perceberão que não precisarão usar produtos que destroem a nossa biodiversidade e que causam tantas doenças ao ser humano (defeitos de nascença, câncer, etc). Nossos jovens empreendedores do Icó Mandantes de hoje perceberão que a goiaba, o tomate, a melancia e tantas outras frutas que produzimos não precisam ser bonitas e nem tão pouco ter valor de mercado quando destinadas à produção de doces e compotas.

OBS: São chamadas de OPERÁRIAS as abelhas que saem da colmeia em busca de alimentos, o néctar das flores. Chegam a carregar um volume maior que o seu peso corporal.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *