Educação no Brasil: Mais uma vez no rabo da gata

Paulo Campos

Petrolândia 04 de abril de 2014

Desculpem a expressão, mas ela é adequada para um país que não consegue sair dos últimos lugares quando submetido à avaliação comparativa com outros países. Ficou em 38º lugar num total de 44 países avaliados pelo Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa).

Delimitando o tema à educação no nosso município, eu envio a seguinte mensagem aos Professores e Gestores escolares do Ensino Médio de Petrolândia: “O papagaio come o milho, o periquito leva a fama”. São vocês que levam a culpa, mas o buraco é mais embaixo. Os alunos que chegam pra vocês oriundos da Educação Infantil e Fundamental não gostam de Estudar, não gostam de Escola, não gostam de Professor. Este desinteresse, esta apatia eles começaram a aprender na Educação Infantil. Isto não acontece por falta de infraestrutura, por falta de material didático, por falta de capacitação dos professores. É o resultado de falta de gestão adequada a nível de sistema. O material didático que o MEC vem distribuindo desde 2010 para o Ensino Fundamental e Médio é de excelente qualidade e com material de apoio ao professor de fazer inveja as melhores escolas particulares do país. Veja neste link o Material que foi enviado para a Educação Infantil nas Escolas do Icó Mandantes desde o ano passado: Em muitos municípios eles se perdem no meio do caminho e quando chegam à escola os professores não recebem o mínimo de apoio logístico e pedagógico adequado. De quebra ainda existe no pacote a “Coleção Família&Escola” que deve ser distribuída aos pais dos alunos em reuniões com palestras específicas. Eu pergunto: Algum pai de aluno recebeu isso algum dia?

O modelo de Gestão empregado nas Escolas Municipais do Icó Mandantes foi criado para infernizar a vida dos professores. Nem a Padroeira das causas impossíveis Santa Rita de Cássia consegue resolver o problema. A folha de pagamento dos professores da Prefeitura de Petrolândia é suficiente para emplacar nossa cidade entre as melhores do país desde que o gerenciamento do sistema seja concebido para educar e não para angariar votos a cada dois anos. Até quando?

E ainda tem gente que pergunta: Que cidade é essa? Que país é esse? Eu respondo parafraseando Zé da Luz: É uma cidade diferente do Brasi das capitá. É mais uma cidade deste Brasi brasilêro, sem mistura de instrangero, um Brasi nacioná.

Mas é também uma cidade que tem, para os “ricos” Catamarã, campeonato de Jet ski, e logo logo o Pier da Prainha.

Não se enganem: Sem educação de qualidade para as nossas crianças tudo não passará de ilusão passageira que conduzirá a juventude ao consumismo irracional e ao chegarem à adolescência decepcionados e descrentes da vida, vendo seus sonhos de criança desfeitos, encontrarão como porta de saída para satisfazer as suas ansiedades o consumo de drogas.