PETROLÂNDIA EM TEMPO DE VACAS MAGRAS

Há cerca de 40 anos que Petrolândia não sabe o que é desemprego. Em 2013, a Terra de Pedro comemorava 104 anos de emancipação em tempo de vacas gordas e “em alto estilo”, do jeito que os políticos gostam e o seu povo também. Muita festa movida à bandas caríssimas. Foram dois dias de muito forró, muita cana e nada de cultura local: Forró Chicote, Rodolfo Melo, Capim com Mel, Geraldinho Lins e Garota Safada. Nas comemorações dos 105 anos, 2014, a dose foi Triplicada: Banda Calypso, Moleca 100 Vergonha e Victo e Léo. Recursos que poderiam ter sido poupados para os anos de vacas magras que estavam por vir caíram nas mãos de empresários de grandes bandas de outras paragens. Mas o que fazer se é disso que o povo gosta? Quatro anos após, 2017, o novo Gestor inicia o seu mandato em tempo das vacas magras e na comemoração dos 108 anos de emancipação a população teve que se contentar com Wilton Belo, Fulô de Mandacaru e Geninho Batalha. A gritaria foi geral.

Faço aqui uma pausa para comentar uma mensagem bíblica do livro Gêneses capítulo 41:

Um Faraó do antigo Egito teve dois sonhos: No primeiro viu sete vacas gordas. No segundo, sete vacas magras devorando as sete vacas gordas. Recorreu a um sábio que se encontrava na prisão: José, filho de Jacó, pedindo humildemente que decifrasse o seu sonho: Contou-lhe que tinha visto, no sonho, sete vacas magras devorando sete vacas gordas. José disse que as sete vacas gordas significavam sete anos de fartura e as sete vacas magras sete anos de escassez. José sugeriu ainda que o Faraó deveria passar os sete anos de fartura armazenando o excesso da produção para serem distribuídos nos sete anos de dificuldades. E assim, quando chegaram os sete anos de miséria o mundo todo padeceu, menos o Egito.

Voltando ao tema:

Petrolândia não teve apenas sete anos de vacas gordas, mas 35 anos. Desde meados dos anos 70 quando a CHESF se instala de mala e cuia na velha cidade preparando-se para a construção da Barragem. “Pesando todas estas vantagens CHESF” criou o escritório de Petrolândia sob a direção do engenheiro Dr. Sérgio, com uma boa equipe de funcionários de nível superior e médio, alguns recrutados na cidade, grande número de empregados para os serviços de construção da Barragem eram pessoas aqui residentes com reais vantagens para ambos os lados: para a cidade porque o desemprego ficou reduzido a quase zero… (Gilberto de Menezes, De Jatobá A Petrolândia – Três nomes uma cidade, um povo, 2014, p. 96)

Provavelmente faltou aos gestores que passaram pela prefeitura a sabedoria necessária para recorrer ao sistema educacional a fim de “armazenar”, qualitativamente, nas crianças o bem mais precioso que todo município deve proporcionar aos seus filhos: Conhecimento. Só educação de qualidade, poderia fazer com que os seus jovens adultos e adultos jovens descobrissem que moram numa cidade do tamanho do Brasil, do tamanho do mundo. O resultado dessa desastrosa falta de vontade politica caiu como uma bomba relógio nas mãos do atual gestor que, em função de sua formação humanista, sem qualquer experiência política e não acostumado com vícios nada republicanos, foi escolhido como única tábua de salvação do grupo político que estava e está no poder há 16 anos.

Seis meses é muito pouco pra fazermos uma avaliação justa pra quem ainda tem três anos e meio pela frente.

I – 100 DIAS DA GESTÃO DO PREFEITO RICARDO RODOLFO: O ESSENCIAL É INVISÍVEL AOS OLHOS

Foto: Alex Sandro (Blog Mad In Notícias)

 

A coletiva concedida pelo Prefeito Ricardo Rodolfo em (24/04/2017) não pode ser analisada apenas ao sabor das perguntas feitas pelos blogueiros e das consequentes respostas, por sinal, lúcidas e oportunas. É necessário contextualizar. Petrolândia não é uma cidade isolada do mundo e tão pouco é a toca onde caiu Alice chamada País das Maravilhas. Há certo tempo tentaram vender essa ilusão criando no imaginário de nossos jovens que a nossa cidade seria uma segunda Petrolina. Doce Ilusão. A crise política, econômica e social que vive o nosso município não nasceu no dia primeiro de Janeiro de 2017. Essa crise, se por um lado traz transtorno à nossa população por outro tem um efeito pedagógico que pode colocar nos trilhos o trem que nos conduzirá a um novo tempo, a um novo modo de fazer política. A política como arte de fazer o bem a todos independentemente de bandeira partidária. Eu acredito que o Pastor Ricardo, hoje Prefeito Ricardo, chegou no momento certo, na hora certa. Que Deus ajude para que eu não esteja equivocado.

Por isso escreverei várias matérias relacionadas à coletiva. Esta é a primeira.

A coletiva foi aberta com o Prefeito Ricardo Rodolfo fazendo uma prestação de contas do que conseguiu realizar nos 100 primeiros dias. Apresentou ações concretizadas por todas as Secretarias: Saúde, Educação, Infraestrutura, Segurança, etc. Segundo ele, nada visível a quem não que ver, mas de suma importância para o município. Por isso o subtítulo desta matéria que é uma citação extraída do XXI capítulo do livro O pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry “O essencial é invisível aos olhos… só pode ser visto com o coração” Está contida no diálogo travado entre o Príncipe e a Raposa.

Como é necessário contextualizar, o essencial foi visto pelo grande estrategista político então Prefeito Lourival Simões quando prestes a encerrar o prazo para indicação dos candidatos a prefeito indicou o então Pastor da Igreja Batista Ricardo Rodolfo como candidato à sua sucessão. O essencial, assim percebo, está sendo construído nesse início de governo, mas só pode ser visto com o coração. Parte da oposição derrotada insiste em querer ver com os olhos da velha política viciada em práticas que o povo, na sua maioria, não mais admite.

Há também pessoas do próprio grupo da chapa vencedora que ainda não conseguiu enxergar com o lado esquerdo do peito, mas isso é admissível. Apesar de a chapa vencedora ser do grupo que está no poder há 16 anos, sua candidatura trouxe esperança de renovação, de mudança. isto causa medo, assusta e leva tempo para ser assimilada. Não é fácil promover mudanças principalmente quando implica em remover velhos hábitos e até pessoas.

Na entrevista o Prefeito Ricardo Rodolfo disse que não tem faltado determinação, e vontade política para promover as mudanças tão esperada pelo povo de Petrolândia. Isso todos sabemos, mas muitos não veem nem com o coração e tão pouco com a razão.

A final da coletiva o Prefeito Ricardo Rodolfo fez um apelo dramático para que todos os vereadores, ex-prefeitos, e o povo se unam para que possamos atravessar a crise sem tantas turbulências.

Desejo sorte e sabedoria ao nosso prefeito sem deixar de lembrar o que mais ele sabe: “Ninguém põe remendo de pano novo em roupa velha, porque o remendo repuxa o pano, e o rasgo fica maior ainda. (Mateus c. 9, v. 16). Nem se põe vinho novo em vasilha de couro velha; se o fizer, a vasilha rebentará, o vinho se derramará e a vasilha se estragará. Ao contrário, põe-se vinho novo em vasilha de couro nova; e ambos se conservam”. (Mateus c. 9, v. 17)

Blogs presentes na coletiva: Assis Ramalho, Gota D’Água, Icó-Mandantes, Petrolândia Notícias, Made In Notícias, e Sertão News.

JORNALISTA MAGNU MARTINS ELOGIA PREFEITO DE PETROLÂNDIA RICARDO RODOLFO

 

“O passado já não é mais e o futuro não é ainda… Pode o cão ladrar contra todos, mas não pode morder senão os que dele se aproximam” (Santo Agostinho).

Segundo o Jornalista Magnu Martins a Prefeita de Arcoverde Madalena Brito trabalhou com afinco a semana inteira e com isso conseguiu um público de cerca de duas mil pessoas. Já o Prefeito de Petrolândia não moveu uma palha: “Dizem por lá, para ser mais preciso, que não moveu uma palha, achando que povo é como chuva, que cai do céu”. É, Magnu Martins, pode até não ter movido uma palha, mas conseguiu reunir um público de cerca de mil pessoas. 2,79% da população. Lá, Arcoverde, 2,73%. Imagine se tivesse movido. Para entendermos o que isso significa vamos desenhar comparando dados populacionais e políticos das duas cidades.

Arcoverde: 73.154 habitantes. Votantes: 44.218. Total de Vereadores: 21. Deputados: Federal um.  Estadual: dois.

Petrolândia: 35.731 habitantes. Votantes: 23.234. Total de Vereadores: 11. Deputados: Federal: zero. Estadual: zero.

O Vereador eleito menos votado de lá teve mais votos que o vereador eleito mais votado de cá.

Ah, dirão: Em Petrolândia a maioria era de estudante do Ensino Médio. Que bom. O futuro que não é ainda será deles e com certeza aprenderão a não se aproximar de cão que ladra.

Abaixo, o texto de Magnu Martins que intencionalmente ou não elogiou o Prefeito Ricardo Rodolfo:

“Articulação foi de Madalena

Das três plenárias que o governador participou entre quinta-feira e sábado passados, dentro do roteiro dos seminários “Pernambuco em ação”, a de Arcoverde, como polo do Sertão do Moxotó, foi, disparado, a maior. Aliados experientes em eventos semelhantes arriscam num público em torno de duas mil pessoas. O sucesso é atribuído ao poder de articulação da prefeita Madalena Brito (PTB), que se empenhou e trabalhou com afinco a semana inteira, mobilizando prefeitos, vereadores e representantes das diversas entidades representativas da sociedade civil. O que, diga-se de passagem, o prefeito de Itaparica, o mais fraco dos três eventos, não fez. Dizem por lá, para ser mais preciso, que não moveu uma palha, achando que povo é como chuva, que cai do céu” ‘. (http://www.blogdomagno.com.br/coluna.php acessado em 27/03/2017).

Foto: (http://www.petrolandianoticias.com.br/2017/03/jornalista-magno-martins-em-reportagem.html acessado em 27/03/2017)

PAULO CÂMARA EM PETROLÃNDIA (SEMINÁRIO PERNAMBUCO EM AÇÃO): A POLÍTICA TEM RAZÕES QUE A PRÓPRIA RAZÃO DESCONHECE.

“Dois homens olharam através das grades da prisão; um viu a lama, o outro as estrelas” (Santo Agostinho) – A maneira de perceber a realidade depende da visão de mundo de cada pessoa ou de seus interesses pessoais.

O Blogueiro Magnu Martins parece ter visto apenas o que ele queria: Dizer que o Seminário em Petrolândia Fracassou.
As matérias publicadas ou são tendenciosas ou ele, Magnu, não conhece as lideranças dessa região bem como a população da Micro região Itaparica (141.618) e das demais que ele comparou: Pajeú (325.564) e Moxotó (224.134). Pelo número de Habitantes destas, o Seminário deveria ter sido realizado num Estádio de futebol.

Ausência de algumas lideranças houve, mas provavelmente ele não sabe as razões. Como jornalista deveria saber. Além do mais chamou os alunos do Ensino Médio de desinteressados e mau educados. Não foi isso que vi. Se houve algum problema, nada fora dos limites do comportamento natural de toda juventude. Se a supervisora interviu, agiu como todo educador que tem compromisso com Educação.

Não é todo político que tem a coragem de prestar contas de suas ações em uma quadra de esportes lotada de jovens. Parabéns Governador Paulo Câmara, Parabéns Prefeito Ricardo Rodolfo, Parabéns Estudantes do Ensino Médio de Petrolândia, Parabéns Petrolândia. As lideranças políticas que não compareceram é porque não estão interessadas no desenvolvimento da região.

“Diferentemente da abertura, ontem, em Afogados da Ingazeira, polo do Pajeú, onde se observou a presença das mais expressivas lideranças políticas da região, o seminário de Petrolândia, aberto há pouco, não repete o sucesso de ontem.

A começar pela plateia, fortemente composta por estudantes do ensino médio, que não estão nem aí para o que as autoridades falam. Há pouco, um grupo de estudantes chegou a levar um carão de uma supervisora de escola por mau comportamento.

Assessores do governador não admitem que o evento fracassou. Alegam que a região de Itaparica é bem menor do que a do Pajeú ‘Enquanto o Pajeú tem 17 municípios, aqui são apenas sete municípios’, justifica um assessor”. (https://www.blogdomagno.com.br/ver_post.php?id=173830 acessado em 25/03/2017).

“Informada do fracasso em Petrolândia, a prefeita Madalena Brito (PSB), anfitriã, cuidou de reforçar a mobilização ontem, envolvendo todos os prefeitos da região, deputados votados no Moxotó, vereadores e lideranças sindicais. O que ocorreu em Itaparica serviu até de alerta para o Governo e aliados. Lá, o prefeito-anfitrião Pastor Ricardo e os deputados que atuam na região relaxaram na mobilização. Mesmo ocupando o ambiente com estudantes, ainda se observou um amontoado de cadeiras vazias”. (https://www.blogdomagno.com.br/ver_post.php?id=173871 – Acessado em 25/03/2017)

Fotos: Divulgação Facebook

PAULO CÂMARA EM PETROLÃNDIA (SEMINÁRIO PERNAMBUCO EM AÇÃO): A POLÍTICA TEM RAZÕES QUE A PRÓPRIA RAZÃO DESCONHECE.

O Blogueiro Magnu Martins parece ter visto apenas o que ele queria: Dizer que o Seminário em Petrolândia Fracassou.

“Dois homens olharam através das grades da prisão; um viu a lama, o outro as estrelas” (Santo Agostinho) – A maneira de perceber a realidade depende da visão de mundo de cada pessoa ou de seus interesses pessoais.

“Diferentemente da abertura, ontem, em Afogados da Ingazeira, polo do Pajeú, onde se observou a presença das mais expressivas lideranças políticas da região, o seminário de Petrolândia, aberto há pouco, não repete o sucesso de ontem.

A começar pela plateia, fortemente composta por estudantes do ensino médio, que não estão nem aí para o que as autoridades falam. Há pouco, um grupo de estudantes chegou a levar um carão de uma supervisora de escola por mau comportamento.

Assessores do governador não admitem que o evento fracassou. Alegam que a região de Itaparica é bem menor do que a do Pajeú ‘Enquanto o Pajeú tem 17 municípios, aqui são apenas sete municípios’, justifica um assessor”. (https://www.blogdomagno.com.br/ver_post.php?id=173830 acessado em 25/03/2017).

“Informada do fracasso em Petrolândia, a prefeita Madalena Brito (PSB), anfitriã, cuidou de reforçar a mobilização ontem, envolvendo todos os prefeitos da região, deputados votados no Moxotó, vereadores e lideranças sindicais. O que ocorreu em Itaparica serviu até de alerta para o Governo e aliados. Lá, o prefeito-anfitrião Pastor Ricardo e os deputados que atuam na região relaxaram na mobilização. Mesmo ocupando o ambiente com estudantes, ainda se observou um amontoado de cadeiras vazias”. (https://www.blogdomagno.com.br/ver_post.php?id=173871 – Acessado em 25/03/2017)

Essas matérias ou são tendenciosas ou ele, Magnu, não conhece as lideranças dessa região bem como a população da Micro região Itaparica (141.618) e das demais que ele comparou: Pajeú (325.564) e Moxotó (224.134). Pelo número de Habitantes destas, o Seminário deveria ter sido realizado num Estádio de futebol.

Ausência de algumas lideranças houve, mas provavelmente ele não sabe as razões. Como jornalista deveria saber. Além do mais chamou os alunos do Ensino Médio de desinteressados e mau educados. Não foi isso que vi. Se houve algum problema, nada fora dos limites do comportamento natural de toda juventude. Se a supervisora interviu, agiu como todo educador que tem compromisso com Educação.

Não é todo político que tem a coragem de prestar contas de suas ações em uma quadra de esportes lotada de jovens. Parabéns Governador Paulo Câmara, Parabéns Prefeito Ricardo Rodolfo, Parabéns Estudantes do Ensino Médio de Petrol, Parabéns Petrolândia. As lideranças políticas que não compareceram é porque não estão interessados no desenvolvimento da região.

 

Fotos: Divulgação Facebook

ORLA DE PETROLÂNDIA – COMO NUM PASSE DE MÁGICA: TUDO LIMPO

Parafraseando John F. Kennedy: “Não pergunte o que Petrolândia pode fazer por você, pergunte o que você pode fazer por Petrolândia!”.

O mutirão realizado hoje por moradores e funcionários da Prefeitura a Pedido do Prefeito Ricardo Rodolfo para limpeza da Orla Fluvial de Petrolândia, tem um poder simbólico no imaginário social e cultural dos Petrolandenses que vai muito além da nossa real compreensão.

Eu entendo as razões que levam muitos jovens da nossa cidade pós-barragem de Itaparica não perceberem a importância que tem este gesto. Afinal, a maior parte de nossas raízes culturais repousa adormecida sob as águas do Velho Chico. Petrolândia deu início, hoje, ao resgate desse passado pobre, difícil, mas construído com muito orgulho. A história de Petrúcio Amorim explicitada na sua música Tareco e Mariola é também a história do povo de Petrolândia.

“Cartas na mesa,

bom jogador conhece o jogo pela regra,

não sabes tu que já tirei leite de pedra,

só pra te ver sorrir pra mim não chorar.

Você foi longe,

me machucando provocou a minha ira,

só que eu nasci entre o velame e a macambira,

quem é você pra derramar meu munguzá”

DECLARAÇÃO DE AMOR À MINHA ETERNA NAMORADA

Um dia, ainda na minha infância pobre no saudoso Icó, eu observava o azul sem dimensão do espaço infinito. Nem uma nuvem para amenizar o calor insuportável. Como num passo de mágica aparece uma mulher na minha frente e pergunta:

– Está sonhando?

– Sim, estou pensando em voar.

Ela então me deu a mão e a partir daí jamais nos separamos.  Ela me ensinou a lutar por tudo que eu sonhava e graças ao nosso amor inseparável conseguir chegar a ser professor de uma Instituição, a Universidade Federal de Pernambuco, que como todas as Universidades no mundo, o valor maior é a liberdade. Liberdade de expressão, liberdade de pensamento.

Foi com ela que aprendi que a minha liberdade termina quando começa a dos outros qualquer que seja a opção política ou religiosa. Essa é a minha eterna namorada: A liberdade. E para homenageá-la, nada melhor do que a música do Saudoso Jessé: Voa Liberdade.  Mesmo sem saber cantar tive a permissão da minha eterna namorada para gravar este vídeo em Praça pública: A Praça dos Três Poderes em Petrolândia Pernambuco.

OBS: Este vídeo foi gravado durante o evento “TOQUE CANTE E DANCE NA PRAÇA” que acontece todos os domingos na Praça dos Três Poderes em Petrolândia Pernambuco.

Presidente Dilma entrega a segunda estação de bombeamento EBV II da Transposição do Rio São Francisco. E o caos no Sistema Itaparica como fica?

CanalAproxTranspE agora Presidente Dilma, como fica o Sistema Itaparica? Disseram a V. Exa. que a água que está sendo bombeada para a transposição do eixo Leste está prejudicando os produtores rurais do Icó Mandantes?

E agora Polo Sindical e Sindicatos associados: O que vocês disseram a Presidente sobre o que estão fazendo para que possamos continuar trabalhando honestamente e produzindo alimentos para o mundo? Disseram o que vocês fizeram para que cada reassentado receba os 21 hectares de área de cerqueiro a que têm direito? Disseram também o que vocês fizeram para que os reassentados recebam o título de posse de suas casas e lotes irrigados? Antes do governo do PT eu sei que fizeram muito.  E nos últimos 13 anos?

E agora senhores deputados e senadores que vivem a garimpar votos nos momentos das eleições: Pediram para a Presidente olhar para o Projeto Icó Mandantes? Conseguiram aprovar alguma emenda ou projeto que garanta a sustentabilidade do Sistema de Irrigação do Sistema Itaparica a exemplo do que fizeram para garantir 30 milhões para as bombas flutuantes para o Projeto Nilo Coelho em Petrolina? Projeto esse que foi concluído em apenas 90 dias?

E agora Produtores Rurais, conseguiram chegar perto da Presidenta para dizer que o nosso projeto está morrendo por falta de recursos devidos e prometidos pelo governo Federal? Conseguiram dizer a ela e aos políticos que os servidores que prestam serviços para a PLENA, (empresa terceirizada pela CODEVASF) para gerir o sistema de Irrigação dos projetos Icó Mandantes, Apolônio Sales, Barreira e Manga de baixo estão todos de aviso prévio? Conseguiram dizer a ela que, se até o próximo dia 15 de janeiro, a CODEVASF não pagar a conta da CELPE, esta cortará novamente a energia dos sistemas de bombeamento?

O canal de aproximação para a primeira estação de bombeamento da transposição do eixo leste (ver foto acima) inicia a menos de 500 metros da margem do lago onde está o Projeto Icó Mandantes. Corre paralelo ao início de quatro canais de aproximação dos sistemas de bombeamento do Projeto Icó Mandantes Bloco 4 (EB2, EB3, EB4 e EB5). Para a Transposição não está faltando nem recursos e nem água. Para os reassentados faltam os dois.

O projeto Icó Mandantes caminha a passos largos para o buraco que o levará ao fundo do poço. Não podemos, porém,  menosprezar os políticos, o sindicato e o polo sindical. Mas até agora, nada foi feito por eles que garanta a autosustentabilidade do Projeto. Continuamos reféns do voto de cabresto inclusive do sindicato e polo sindical que, no momento, são cabos eleitorais do governo federal. O mesmo governo federal que deixa que falte recursos até para pagar a conta de energia para consumo humano. Prefiro acreditar que a Presidenta Dilma não saiba disso.  Não podemos viver sem eles, políticos e sindicatos. Mas enquanto não tivermos organizados e unidos o suficiente para demonstrar que são eles que precisam de nós, chegaremos mais rápido do que se pensa ao fundo do poço e as consequências sociais serão desastrosas.  Será que nele caberá 8.000 habitantes? O que farão 2.500 jovens do Projeto Icó Mandantes na idade produtiva sem qualquer esperança de futuro?

Leia também:

A vaquinha do Icó Mandantes ou do Sistema Itaparica?

Suicídio e homicídio: o preço do progresso

Operária morre envenenada no Icó Mandantes

O Projeto Icó Mandantes de Petrolândia Pernambuco ontem hoje e amanhã

O Discurso proferido por Rui Barbosa no Senado Federal em 17/12/1914 é de uma atualidade impressionante:

“Sinto vergonha de mim por ter sido educador de parte desse povo, por ter batalhado sempre pela justiça, por compactuar com a honestidade, por primar pela verdade e por ver este povo já chamado varonil enveredar pelo caminho da desonra.

Sinto vergonha de mim por ter feito parte de uma era que lutou pela democracia, pela liberdade de ser e ter que entregar aos meus filhos, simples e abominavelmente, a derrota das virtudes pelos vícios, a ausência da sensatez no julgamento da verdade, a negligência com a família, célula-mater da sociedade, a demasiada preocupação com o ‘eu’ feliz a qualquer custo, buscando a tal ‘felicidade’ em caminhos eivados de desrespeito para com o seu próximo.

Tenho vergonha de mim pela passividade em ouvir, sem despejar meu verbo, a tantas desculpas ditadas pelo orgulho e vaidade, a tanta falta de humildade para reconhecer um erro cometido, a tantos ‘floreios’ para justificar atos criminosos, a tanta relutância em esquecer a antiga posição de sempre ‘contestar’, voltar atrás e mudar o futuro. Tenho vergonha de mim, pois faço parte de um povo que não reconheço, enveredando por caminhos que não quero percorrer…

Tenho vergonha da minha impotência, da minha falta de garra, das minhas desilusões e do meu cansaço. Não tenho para onde ir, pois amo este meu chão, vibro ao ouvir meu Hino e jamais usei a minha Bandeira para enxugar o meu suor ou enrolar meu corpo na pecaminosa manifestação de nacionalidade.

Ao lado da vergonha de mim, tenho tanta pena de ti, povo brasileiro!

De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”

Feminismo vs Machismo, Racismo vs Tolerância. – Dividir para dominar?

BibiMamae3
Antes de tudo deixo aqui bem claro o meu conceito sobre o tema:

“Feminismo não prega ódio, feminismo não prega a dominação das mulheres sobre os homens. Feminismo clama por igualdade, pelo fim da dominação de um gênero sobre outro. Feminismo não é o contrário de machismo. Machismo é um sistema de dominação. Feminismo é uma luta por direitos iguais”. (Clara Averbuck)

Racismo é todo pensamento ou atitude que vise separar raças humanas considerando algumas superiores as outras. O racismo pode ser contra negros, mulatos, índios e até mesmo contra brancos. Reconheço, porém que quando se discute racismo os negros são a principal referência.

Dividir para dominar.

Quanto maior a fragmentação racial, étnica e/ou religiosa mais fácil para dominar. Neste caso a quem interessa essa fragmentação?

Quando uma pessoa, grupo ou seja lá o que for tenta desqualificar quem pensa diferente da sua ideologia, quer seja quanto ao racismo, questões de gênero, etc., está nada mais nada menos, conscientemente ou não, promovendo a divisão dos seres humanos em fragmentos que só interessa a quem domina ou quer dominar. Se já domina quer continuar dominando, e se é dominado quer chegar ao outro lado para também se tornar um dominador. Isto é feito pelas ideologias com objetivos específicos que vão sendo criadas ao longo da história. As presas mais fáceis para aderirem a tais ideologias são os jovens. O Estado Islâmico não foi criado do dia pra noite.

A foto acima, é de minha avó (Maria Cassimira da Silva, carinhosamente chamada de Bibi). A criança com o laço na cabeça é minha Mãe. Bibi é filha de uma mulata (Verônica ou Mãe Lon). Esta por sua vez é filha de uma negra (Maria Matilde da Conceição). Foi Escrava no Icó do senhor Antônio Bigodeiro. Bibi Perdeu o seu marido, portanto meu avô João Campos, Filho de Faustina Campos natural de Glória, BA, quando minha mãe tinha 18 meses. Casou-se novamente e teve mais duas filhas. Ela tinha 9 irmãos. 5 mulheres e 4 homens. Bibi era, sem saber, feminista por natureza. Mas nunca precisou se colocar contra os homens para conquistar o seu espaço. Na nossa família de filhos a netos e bisnetos a última palavra era a dela. Todos na região gostavam e a admiravam. Em resumo: Minha trisavó era negra e escrava, com muito orgulho!!!

Por fim, eu relembro o nome de várias mulheres brasileiras que contribuíram significativamente para a conquista de direitos iguais para as mulheres, índios, negros sem nunca terem precisado pregar a dominação das mulheres sobre os homens. Leiam neste link:

18 mulheres brasileiras que fizeram diferença

A vaquinha do Icó Mandantes ou do Sistema Itaparica?

A maior crise hídrica dos últimos 80 anos, no Rio São Francisco, reduziu a produção agrícola? A resposta é não, com exceção da região onde estão os perímetros irrigados da Barragem de Itaparica. No Projeto Icó Mandantes a área irrigada está reduzida a metade. Neste projeto há bem pouco tempo produzia, só de melancia, 300 toneladas por dia. Hoje a produção diária não chega a 20 toneladas. A culpa é da crise hídrica? Não. Falta água, no lago, para irrigação? Não. A água não chega em quantidade suficiente na área irrigada porque os canais de aproximação estão obstruídos por vegetação. No momento estão sendo desobstruídos, mas em breve tudo voltará ao mesmo. Onde está o problema? Na vaquinha que produz o leite necessário à sobrevivência dos produtores. Aqui o insumo necessário à produção agrícola e ao consumo humano é gratuito: A água. A quem interessa que esta vaquinha continue em ação? A quase todos: Ao polo sindical que é o pai do projeto e não quer que os seus filhos criem asas. Interessa a maioria dos produtores, que por questões de ordem sócio cultural, não querem se tornar independentes do leite da vaquinha. Interessa a CODEVASF que opera um sistema de irrigação para produtores rurais que por diversas razões não têm como cobrar que os serviços por ela prestados sejam executados de acordo com os recursos financeiros que ela tem recebido ao longo dos anos. E não foram poucos. Os técnicos da CODEVASF não conseguem fazer o que deveria numa empresa aparelhada pela politicagem.

Se no próximo ano não chover o suficiente em toda extensão do Rio São Francisco o Lago de Itaparica chegará ao volume morto. O prejuízo para a economia de Petrolândia será incalculável além do que já tem causado até o momento com a redução da produção. Não haverá nem royalties e nem ICMS provenientes da Usina Luiz Gonzaga.

Os produtores, de perímetros irrigados que não dependem do leite da vaquinha saberão encontrar o caminho para continuar produzindo. Os que dependem da vaquinha como sobreviverão? Será que por aqui passará algum mestre da sabedoria e mandará seu discípulo jogar a vaquinha no precipício?

Para mais informações sobre os problemas gerados pela vaquinha leia as matérias abaixo:

SUICÍDIO E HOMICÍDIO: O PREÇO DO PROGRESSO

PROJETO ICÓ MANDANTES: SAI A HIDROSONDAS ENTRA A PLENA

PROJETO ICÓ MANDANTES ENSINA A CULTIVAR NO DESERTO DOS CAMPINHOS

O PROJETO ICÓ MANDANTES DE PETROLÂNDIA PERNAMBUCO ONTEM HOJE E AMANHÃ

ÓRFÃOS DA BARRAGEM DE ITAPARICA

CENTRO DE MONITORAMENTO DO SISTEMA DE IRRIGAÇÃO DO PROJETO ICÓ MANDANTES

TCU VERIFICA INDÍCIOS DE IRREGULARIDAS EM OBRAS DE REASSENTAMENTO DE ITAPARICA

PRODUTORES RURAIS DO ICÓ-MANDANTES OCUPAM E ASSUMEM COMANDO DAS ESTAÇÕES DE BOMBEAMENTO

……………………

A FÁBULA DA VAQUINHA

Um mestre da sabedoria passeava por uma floresta com seu fiel discípulo, quando avistou ao longe um sítio de aparência pobre e resolveu fazer  uma breve visita… Durante o percurso ele falou ao aprendiz sobre a importância das  visitas e as oportunidades de aprendizado que temos,   também com as pessoas que mal conhecemos.

Chegando ao sítio, constatou  a pobreza do lugar: sem calçamento,  casa  de  madeira,  os  moradores,  um   casal e três filhos, vestidos com  roupas  rasgadas e sujas… Então se aproximou do senhor, aparentemente o pai daquela família, e perguntou: “Neste lugar não há sinais de pontos de comércio e de trabalho. Como o senhor e a sua família sobrevivem aqui?” E o senhor calmamente respondeu: “Meu amigo, nós temos uma vaquinha que nos dá vários litros de leite todos os dias. Uma parte desse produto nós  vendemos  ou trocamos na cidade vizinha por outros gêneros alimentícios e  a  outra  parte  nós  produzimos queijo e coalhada para o nosso consumo e  assim vamos sobrevivendo.”

O sábio agradeceu pela informação,  contemplou  o   lugar por uns  momentos,  depois se despediu e foi embora. No meio do caminho, voltou ao seu fiel discípulo e ordenou: “Aprendiz, pegue a vaquinha, leve-a ao  precipício  ali  à   frente  e  empurre-a,  jogue-a  lá  embaixo.” O jovem  arregalou  os  olhos  espantado  e  questionou o mestre sobre o fato de a vaquinha  ser  o  único  meio de sobrevivência daquela família, mas, como  percebeu  o  silêncio absoluto do seu mestre, foi cumprir a ordem. Assim, empurrou a vaquinha morro abaixo e a viu morrer.

Aquela cena ficou marcada na memória daquele jovem durante alguns   anos,  até  que,  um  belo  dia,  ele  resolveu   largar  tudo o que havia  aprendido e voltar àquele mesmo lugar e contar tudo àquela família, pedir  perdão e ajudá-los. E assim o fez. Quando se aproximava do local, avistou um sítio muito bonito, com árvores floridas, todo murado, com carro na garagem e algumas crianças  brincando  no  jardim.  Ficou triste e desesperado,  imaginando  que  aquela humilde família tivera que vender o  sítio  para sobreviver. Apertou o passo e, chegando lá, foi logo recebido por um caseiro muito simpático e perguntou sobre a família que ali morava há uns quatro anos.  O caseiro respondeu: “Continuam morando aqui.” Espantado, o discípulo entrou correndo  na casa e viu que era mesmo a  família  que   visitara antes com o mestre. Elogiou o local e perguntou ao senhor (o dono da vaquinha): “Como o senhor melhorou este sítio e está   tão  bem de vida?” E o senhor, entusiasmado, respondeu: “Nós tínhamos uma vaquinha  que  caiu  no  precipício  e morreu. Daí em diante, tivemos que fazer  outras  coisas  e  desenvolver   habilidades  que  nem sabíamos que  podíamos,  assim   alcançamos  o sucesso que seus olhos vislumbram agora!”

OBS: Os dados sobre a produção agrícola foram obtidos junto a vendedores de insumos agrícolas que atuam em todo Sistema Itaparica e todos os projetos irrigados desde Sobradinho até Petrolândia. Foram entrevistados também produtores rurais da área ribeirinha de Petrolândia.

1 2 3 6