PROJETO ESCOLA CÍVICO MILITAR

“O que é o Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares?
O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares é uma iniciativa do Ministério da Educação, em parceria com o Ministério da Defesa, que apresenta um conceito de gestão nas áreas educacional, didático-pedagógica e administrativa com a participação do corpo docente da escola e apoio dos militares. A proposta é implantar 216 Escolas Cívico-Militares em todo o país, até 2023, sendo 54 por ano
O modelo a ser implementado pelo Ministério da Educação tem o objetivo de melhorar o processo de ensino-aprendizagem nas escolas públicas e se baseia no alto nível dos colégios militares do Exército, das Polícias e dos Corpos de Bombeiros Militares.
Os militares atuarão no apoio à gestão escolar e à gestão educacional, enquanto professores e demais profissionais da educação continuarão responsáveis pelo trabalho didático-pedagógico.
Participarão da iniciativa militares da reserva das Forças Armadas, que serão chamados pelo Ministério da Defesa. Policiais e Bombeiros militares poderão atuar, caso seja assim definido pelos governos estaduais e do Distrito Federal”.
Fonte: http://escolacivicomilitar.mec.gov.br/18-o-programa
Professor Paulo Campos

PROJETO PETROLÂNDIA CIDADÃ

Ivone Alves: Uma Luz no fim do túnel para a Câmara de Vereadores de Perolândia. Desde o reassentamento compulsório da população rural de nossa cidade, já se vão 32 anos e ninguém, até o momento, é dono de nada. Nem de suas casas e nem dos lotes irrigados. O mesmo acontece com os residentes na cidade. Só possuem título de posse, moradores da quadra um até a quadra 11. O título de posse é fundamental para a obtenção de financiamento junto às instituições financeiras.
O direito de propriedade é descrito no Inciso XXII do Artigo 5º da Constituição Federal de 1988. Nele, estão previstos direitos fundamentais, com objetivo de assegurar uma vida digna, livre e igualitária a todos os cidadãos do país.
De forma resumida, pode-se pensar no direito de propriedade como o direito de uma pessoa, dentro dos limites da lei, de dispor e usufruir de um bem, e também de determinar o que é feito com ele. Ou seja, o direito de propriedade garante que qualquer cidadão tem direito de possuir, ou seja, ser dono de bens.
Se eu for eleita vou lutar, incansavelmente, para que seja concedido, por quem de direito, o título de posse a todos os reassentados e proprietários de imóveis a partir da quadra 12.

Por Paulo Campos (Assessor de Ivone Alves)

PROJETO AGRICULTURA FAMILIAR – PETROLÂNDIA PERNAMBUCO

Ivone Alves: Uma luz no fim do túnel para a Câmara de Vereadores de Petrolândia. Mais um Projeto da candidata a Vereadora Ivone Alves. Segundo Ivone, é necessário estimular a agroindústria familiar na área rural para incrementar a renda das famílias. A agroindústria familiar melhora a qualidade de vida dos agricultores familiares, evita o êxodo rural e ainda promove a sucessão familiar. Já divulgamos o Projeto Santuário do Coração de Jesus. Mais Projetos serão divulgados aré o dia 14 do corrente. Todos os Projetos serão apresentados à Câmara de Vereadores na primeira sessão plenária, se for eleita. Professor Paulo Campos (Assessor de Ivone Alves)

PROJETO SANTUÁRIO DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS – PETROLÂNDIA PERNAMBUCO

Ivone Alves: Uma luz no fim do túnel para a Câmara de Vereadores de Petrolândia.
Esse é um dos projetos para Cultura e Turismo a ser apresentado pela candidata a Vereadora Ivone Alves na Câmmara de Vereadores na primeira sessão plenária, se for eleita. Até o dia dez do corrente mais projetos serão apresentados nas áreas de Agricultura, Educação e Infraestrutura.

Veja o projeto na íntegra:

Projeto-Santuario-do-Sagrado-Coracao-de-Jesus-2

PETROLÂNDIA EM TEMPO DE VACAS MAGRAS

Há cerca de 40 anos que Petrolândia não sabe o que é desemprego. Em 2013, a Terra de Pedro comemorava 104 anos de emancipação em tempo de vacas gordas e “em alto estilo”, do jeito que os políticos gostam e o seu povo também. Muita festa movida à bandas caríssimas. Foram dois dias de muito forró, muita cana e nada de cultura local: Forró Chicote, Rodolfo Melo, Capim com Mel, Geraldinho Lins e Garota Safada. Nas comemorações dos 105 anos, 2014, a dose foi Triplicada: Banda Calypso, Moleca 100 Vergonha e Victo e Léo. Recursos que poderiam ter sido poupados para os anos de vacas magras que estavam por vir caíram nas mãos de empresários de grandes bandas de outras paragens. Mas o que fazer se é disso que o povo gosta? Quatro anos após, 2017, o novo Gestor inicia o seu mandato em tempo das vacas magras e na comemoração dos 108 anos de emancipação a população teve que se contentar com Wilton Belo, Fulô de Mandacaru e Geninho Batalha. A gritaria foi geral.

Faço aqui uma pausa para comentar uma mensagem bíblica do livro Gêneses capítulo 41:

Um Faraó do antigo Egito teve dois sonhos: No primeiro viu sete vacas gordas. No segundo, sete vacas magras devorando as sete vacas gordas. Recorreu a um sábio que se encontrava na prisão: José, filho de Jacó, pedindo humildemente que decifrasse o seu sonho: Contou-lhe que tinha visto, no sonho, sete vacas magras devorando sete vacas gordas. José disse que as sete vacas gordas significavam sete anos de fartura e as sete vacas magras sete anos de escassez. José sugeriu ainda que o Faraó deveria passar os sete anos de fartura armazenando o excesso da produção para serem distribuídos nos sete anos de dificuldades. E assim, quando chegaram os sete anos de miséria o mundo todo padeceu, menos o Egito.

Voltando ao tema:

Petrolândia não teve apenas sete anos de vacas gordas, mas 35 anos. Desde meados dos anos 70 quando a CHESF se instala de mala e cuia na velha cidade preparando-se para a construção da Barragem. “Pesando todas estas vantagens CHESF” criou o escritório de Petrolândia sob a direção do engenheiro Dr. Sérgio, com uma boa equipe de funcionários de nível superior e médio, alguns recrutados na cidade, grande número de empregados para os serviços de construção da Barragem eram pessoas aqui residentes com reais vantagens para ambos os lados: para a cidade porque o desemprego ficou reduzido a quase zero… (Gilberto de Menezes, De Jatobá A Petrolândia – Três nomes uma cidade, um povo, 2014, p. 96)

Provavelmente faltou aos gestores que passaram pela prefeitura a sabedoria necessária para recorrer ao sistema educacional a fim de “armazenar”, qualitativamente, nas crianças o bem mais precioso que todo município deve proporcionar aos seus filhos: Conhecimento. Só educação de qualidade, poderia fazer com que os seus jovens adultos e adultos jovens descobrissem que moram numa cidade do tamanho do Brasil, do tamanho do mundo. O resultado dessa desastrosa falta de vontade politica caiu como uma bomba relógio nas mãos do atual gestor que, em função de sua formação humanista, sem qualquer experiência política e não acostumado com vícios nada republicanos, foi escolhido como única tábua de salvação do grupo político que estava e está no poder há 16 anos.

Seis meses é muito pouco pra fazermos uma avaliação justa pra quem ainda tem três anos e meio pela frente.

I – 100 DIAS DA GESTÃO DO PREFEITO RICARDO RODOLFO: O ESSENCIAL É INVISÍVEL AOS OLHOS

Foto: Alex Sandro (Blog Mad In Notícias)

 

A coletiva concedida pelo Prefeito Ricardo Rodolfo em (24/04/2017) não pode ser analisada apenas ao sabor das perguntas feitas pelos blogueiros e das consequentes respostas, por sinal, lúcidas e oportunas. É necessário contextualizar. Petrolândia não é uma cidade isolada do mundo e tão pouco é a toca onde caiu Alice chamada País das Maravilhas. Há certo tempo tentaram vender essa ilusão criando no imaginário de nossos jovens que a nossa cidade seria uma segunda Petrolina. Doce Ilusão. A crise política, econômica e social que vive o nosso município não nasceu no dia primeiro de Janeiro de 2017. Essa crise, se por um lado traz transtorno à nossa população por outro tem um efeito pedagógico que pode colocar nos trilhos o trem que nos conduzirá a um novo tempo, a um novo modo de fazer política. A política como arte de fazer o bem a todos independentemente de bandeira partidária. Eu acredito que o Pastor Ricardo, hoje Prefeito Ricardo, chegou no momento certo, na hora certa. Que Deus ajude para que eu não esteja equivocado.

Por isso escreverei várias matérias relacionadas à coletiva. Esta é a primeira.

A coletiva foi aberta com o Prefeito Ricardo Rodolfo fazendo uma prestação de contas do que conseguiu realizar nos 100 primeiros dias. Apresentou ações concretizadas por todas as Secretarias: Saúde, Educação, Infraestrutura, Segurança, etc. Segundo ele, nada visível a quem não que ver, mas de suma importância para o município. Por isso o subtítulo desta matéria que é uma citação extraída do XXI capítulo do livro O pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry “O essencial é invisível aos olhos… só pode ser visto com o coração” Está contida no diálogo travado entre o Príncipe e a Raposa.

Como é necessário contextualizar, o essencial foi visto pelo grande estrategista político então Prefeito Lourival Simões quando prestes a encerrar o prazo para indicação dos candidatos a prefeito indicou o então Pastor da Igreja Batista Ricardo Rodolfo como candidato à sua sucessão. O essencial, assim percebo, está sendo construído nesse início de governo, mas só pode ser visto com o coração. Parte da oposição derrotada insiste em querer ver com os olhos da velha política viciada em práticas que o povo, na sua maioria, não mais admite.

Há também pessoas do próprio grupo da chapa vencedora que ainda não conseguiu enxergar com o lado esquerdo do peito, mas isso é admissível. Apesar de a chapa vencedora ser do grupo que está no poder há 16 anos, sua candidatura trouxe esperança de renovação, de mudança. isto causa medo, assusta e leva tempo para ser assimilada. Não é fácil promover mudanças principalmente quando implica em remover velhos hábitos e até pessoas.

Na entrevista o Prefeito Ricardo Rodolfo disse que não tem faltado determinação, e vontade política para promover as mudanças tão esperada pelo povo de Petrolândia. Isso todos sabemos, mas muitos não veem nem com o coração e tão pouco com a razão.

A final da coletiva o Prefeito Ricardo Rodolfo fez um apelo dramático para que todos os vereadores, ex-prefeitos, e o povo se unam para que possamos atravessar a crise sem tantas turbulências.

Desejo sorte e sabedoria ao nosso prefeito sem deixar de lembrar o que mais ele sabe: “Ninguém põe remendo de pano novo em roupa velha, porque o remendo repuxa o pano, e o rasgo fica maior ainda. (Mateus c. 9, v. 16). Nem se põe vinho novo em vasilha de couro velha; se o fizer, a vasilha rebentará, o vinho se derramará e a vasilha se estragará. Ao contrário, põe-se vinho novo em vasilha de couro nova; e ambos se conservam”. (Mateus c. 9, v. 17)

Blogs presentes na coletiva: Assis Ramalho, Gota D’Água, Icó-Mandantes, Petrolândia Notícias, Made In Notícias, e Sertão News.

CARNAVAL PETROLÂNDIA 2017: FANTÁSTICO

“É de fazer chorar, quando o dia amanhece obriga o frevo a parar, Ôh quarta-feira ingrata chega tão depressa só pra contrariar” (Luiz Bandeira)

Mais um evento realizado pela Prefeitura de Petrolândia que gera um poder simbólico no imaginário social e cultural dos Petrolandenses que vai muito além da nossa real compreensão: O Carnaval 2017. O Prefeito Ricardo Rodolfo, com humildade, pediu que empresários locais colaborassem e o que vimos foi o maior e melhor carnaval de toda nossa história. Parabéns aos organizadores.

E o carnaval de 2018 como será? Aqui vão algumas sugestões:

1-Criar um Conselho de Cultura para entre outros organizar o Carnaval;

2-Realizar um concurso de marchinhas com compositores locais;

3-Realizar um concurso para selecionar vocalistas locais;

4-Realizar concurso para selecionar as bandas locais que participarão do carnaval;

5-Os paredões devem tocar apenas músicas do carnaval pernambucano e ao mesmo tempo todas reproduzindo as mesmas músicas sincronizadas via transmissor FM. Vocalistas selecionados no item 2 desfilariam nos paredões fazendo playback.

Vale lembrar que o frevo divide-se em três estilos: frevo de rua (Tocado por orquestra instrumental, sem adição de nenhuma voz cantando), frevo de bloco (Executado por orquestra de pau e cordas (geralmente composta por violões, cavaquinhos, banjos, bandolins, violinos, além de instrumentos de sopro e de percussão) e frevo-canção (Tem melodia cantável e andamento mais lento que o dos frevos de rua).

Exemplos de estilos de frevo:

Frevo de rua: “Vassourinhas”

https://www.youtube.com/watch?v=5Ml7N8mm8LM

Frevo Canção: “Borboleta não é ave”

https://www.youtube.com/watch?v=zXi2vevee-w

Frevo de Bloco: “Madeira que Cupim não Rói”

https://www.youtube.com/watch?v=li4SgjHF3Ic

ORLA DE PETROLÂNDIA – COMO NUM PASSE DE MÁGICA: TUDO LIMPO

Parafraseando John F. Kennedy: “Não pergunte o que Petrolândia pode fazer por você, pergunte o que você pode fazer por Petrolândia!”.

O mutirão realizado hoje por moradores e funcionários da Prefeitura a Pedido do Prefeito Ricardo Rodolfo para limpeza da Orla Fluvial de Petrolândia, tem um poder simbólico no imaginário social e cultural dos Petrolandenses que vai muito além da nossa real compreensão.

Eu entendo as razões que levam muitos jovens da nossa cidade pós-barragem de Itaparica não perceberem a importância que tem este gesto. Afinal, a maior parte de nossas raízes culturais repousa adormecida sob as águas do Velho Chico. Petrolândia deu início, hoje, ao resgate desse passado pobre, difícil, mas construído com muito orgulho. A história de Petrúcio Amorim explicitada na sua música Tareco e Mariola é também a história do povo de Petrolândia.

“Cartas na mesa,

bom jogador conhece o jogo pela regra,

não sabes tu que já tirei leite de pedra,

só pra te ver sorrir pra mim não chorar.

Você foi longe,

me machucando provocou a minha ira,

só que eu nasci entre o velame e a macambira,

quem é você pra derramar meu munguzá”

O FORRÓ/SERESTA MAIS DEMOCRÁTICO DO MUNDO EM PETROLÂNDIA

Gente humilde, pessoas simples, um bom tecladista e vocalista. Esta é a receita do tempero que há dois anos vem fazendo a alegria de quem gosta de dançar ao ar livre ao som de músicas que fazem bem ao coração a alma e a mente. No domingo de 29/01/2017 enquanto muitos petrolandenses se acotovelavam para ver Gustavo Lima em Tacaratu o público fiel do Baião D2 curtia, como sempre, o que já se tornou referência na vida noturna da nossa querida Petrolinda. Aqui todos se divertem tendo dinheiro ou não. O acesso é livre, a bebida é barata, o churrasquinho e o caldinho também. Se você não faz questão de luxo, de estar ao lado de gente pobre ou rica não deixe de conhecer o Forró/Seresta mais democrático do mundo. Além do grande cantor e tecladista Aldo Silva (proprietário do restaurante) natural da Agrovila 01 Bloco 01 a cantora Irisvânia é presença garantida todos os domingos. Não faltam também excelentes intérpretes que por aqui estão de passagem, como caminhoneiros, vendedores, promotores de vendas de outras paragens. Confira vendo o vídeo abaixo.

Para garantir a tranquilidade dos clientes há dois Seguranças e a Polícia Militar que faz ronda constante no local.

OBS

O Baião D2 & Churrascaria fica na BR 316 ao lado da PETROVEL, Petrolândia Pernambuco. Funciona de terça a domingo das 9:00 às 21 horas. O Forró/Seresta aos domingos das 19:30 às 00:00 horas.

DOMINGO NA PRAÇA – 08 DE JANEIRO DE 2017

 

O Repertório deste domingo (08/01/2017) foi dedicado aos músicos que alegravam os finais de semana no Icó e Limão Bravo até os anos 70.

Além das habituais cantoras Renata Heli e Suzi Sá Fomos agraciados com a presença de um grupo de Jovens da ICPB Petrolândia (Igreja de Cristo Pentecostal no Brasil) que deliciosamente através da música fizeram-nos viajar em busca da paz. A cantora Cida da cidade de Arcoverde também abrilhantou o evento.

O nosso muito obrigado especialmente a Rafha Santos, Everton Rubens e Willkerson  e Miicael Souza.  Apareçam sempre que puder. Jesus agradece e os frequentadores da Praça também.

1 2 3 11